Estudantes da assistência estudantil ocupam Reitoria da UFSC

ufscA redução no repasse de verbas públicas para a educação federal por parte do governo vem afetando o cotidiano de diversas instituições de ensino superior, como a Universidade Federal de Santa Catarina (Ufsc). Desde a manhã dessa quarta-feira (1), estudantes da Ufsc, em sua maioria vinculados ao programa de assistência estudantil, ocupam o saguão da Reitoria I, tendo como centro das suas principais reivindicações a regularização do pagamento do auxílio alimentação. Desde que o Restaurante Universitário do Campus Trindade da instituição foi fechado, a Reitoria prometeu aos estudantes isentos a concessão de um vale-alimentação diário no valor de R$ 7,50 por refeição (almoço e janta), mas o pagamento está atrasado.

“A falta de políticas de permanência na universidade, como o acesso ao Restaurante Universitário, segurança, moradia e número de bolsas, tem sido negligente com as demandas cotidianas das e dos estudantes. Entendemos que o fechamento do Restaurante Universitário é consequência direta das ações do governo sobre a educação no âmbito nacional e da conivência da reitoria da Universidade. Isso afeta a vida de trabalhadores e estudantes conjuntamente”, aponta a carta publicada nessa manhã pelos estudantes que fazem parte da ocupação.

Os estudantes também destacam que a precarização das políticas de permanência vem atingindo principalmente os alunos que entraram na instituição através das ações afirmativas. Entre outras pautas, eles exigem da Reitoria a ampliação das vagas da moradia estudantil, do auxílio moradia, do número de bolsas (visando a entrada de novos estudantes no próximo semestre e insuficiência atual), a universalização da politica de permanência e a ampliação do atendimento do RU do Centro de Ciências Agrárias).

Além disso, o prédio da Reitoria II também foi fechado pelo Comando Local de Greve dos técnicos-administrativos. A ação contou com a participação e apoio do Comando Local de Greve dos docentes da Ufsc. De acordo com Mauro Titton, professor da Ufsc, “o fechamento da Reitoria faz parte da Jornada Nacional de Luta, denunciando os cortes no orçamento da instituição e exigindo abertura de negociação”. O prédio permanece fechado por tempo indeterminado. Na UFSC, os docentes federais estão em greve desde o dia 22 de junho.

Imagem de Ocupar Para Permanecer